domingo, 21 de maio de 2017

Minha primeira Intruder

A moto que eu chamo de Merida é uma Intruder da Susuki. 
O nome "Intruder" é utilizado apenas no território brasileiro, por questões de marketing pois o modelo difere totalmente da Intruder 125 fabricada pela Suzuki japonesa e vendida na  Europa   .


Fotos da Credelania

É o modelo mais barato da  Susuki  comercializado, e foi lançada em 2002 quando o modelo de 250 cilindradas parou de ser vendido no Brasil  . Possui itens de série como freio a disco, partida elétrica e indicador digital de marchas. O modelo 2012 foi incluído o marcador de combustível. O consumo médio é de 35 quilômetros por litro.
Esse modelo vem sendo fabricado desde 1982, segundo link abaixo e vendido nos EUA como GN 125 E ou H.
A última Intruder saiu das linhas de montagens da Suzuki em 2016. A sua substituta “Chopper Road 150”, é a nova pequena custom da Suzuki numa parceria com a  montadora chinesa Haojue, ambas estão lançando no Brasil neste mês de maio  a Haojue HJ 150-11. Compramos a moto quando vendemos na época a Dream da Honda para um rapaz que pertencia a um clube de Dream da Cidade de São Paulo. Ficamos com quase 20 anos com essa moto e resolvemos em 2012 comprar a Intruder zero quilômetro na cor preta. De lá pra cá, eu como garupeira comecei a me interessar em pilotá-la visto que eu estava parada há aproximadamente 16 anos sem pilotar uma moto e até então utilizava apenas o carro para os meus afazeres diários.

A Intruder é uma excelente moto principalmente para quem quer iniciar no mundo da pilotagem ou então porque gosta do estilo custom. Para os mais audaciosos é possível fazer várias modificações e deixar essa máquina do jeito que você quiser. No meu caso, acrescentei uma bolha, um protetor de motor, alforge na parte dianteira, um corta pipa e um baú. 


segunda-feira, 1 de maio de 2017

8 meses de Medusas

A data base que utilizo para comemorar a minha entrada no Moto Clube Medusas é o dia 31 porém nem todos os meses possuem 31 dias então o dia 30 de abril foi escolhido para isso. Fomos convidadas e convidados para o sexto aniversário do Moto Clube Felinas que fica no município de Santa Isabel.  Foi um grande desafio pilotar de Diadema até lá. Enfrentar a Anhaia Melo até a Dutra mexeu com a minha adrenalina. É difícil descrever com exatidão o que se sente ao pilotar uma moto e enfrentar uma cidade tão violenta no trânsito. Quem pilota em São Paulo pilota em qualquer lugar desse país desde que tenha responsabilidade e amor a vida. Na ida foram meu esposo com a sua Virago, as Medusas Ane pilotando uma linda Mirage, a Danny que é intrudeira como eu e finalmente Merida a minha intruder guerreira( claro eu pilotando rsrsrsrs). Chegando lá fomos bem recebidos pelos irmãos do Moto Clube Rajando Biela e pelas irmãs do Moto Clube Felinas. Uma verdade tem que se dita, motociclista é quem pilota moto e se aventura pelo Brasil a fora para conhecer pessoas e lugares. Cada dia um desafio e um degrau para a minha evolução. Só tenho a agradecer a Deus e as pessoas que me apoiam, caso contrário não conseguiria. Até a próxima postagem.  Lugar de mulher é pilotando uma moto.



     
Alessandra Moto Clube Felinas


Gláucia presidente do Moto Clube Felinas



Marcela MC Felinas




Adicionar legenda