domingo, 21 de maio de 2017

Minha primeira Intruder

A moto que eu chamo de Merida é uma Intruder da Susuki. 
O nome "Intruder" é utilizado apenas no território brasileiro, por questões de marketing pois o modelo difere totalmente da Intruder 125 fabricada pela Suzuki japonesa e vendida na  Europa   .


Fotos da Credelania

É o modelo mais barato da  Susuki  comercializado, e foi lançada em 2002 quando o modelo de 250 cilindradas parou de ser vendido no Brasil  . Possui itens de série como freio a disco, partida elétrica e indicador digital de marchas. O modelo 2012 foi incluído o marcador de combustível. O consumo médio é de 35 quilômetros por litro.
Esse modelo vem sendo fabricado desde 1982, segundo link abaixo e vendido nos EUA como GN 125 E ou H.
A última Intruder saiu das linhas de montagens da Suzuki em 2016. A sua substituta “Chopper Road 150”, é a nova pequena custom da Suzuki numa parceria com a  montadora chinesa Haojue, ambas estão lançando no Brasil neste mês de maio  a Haojue HJ 150-11. Compramos a moto quando vendemos na época a Dream da Honda para um rapaz que pertencia a um clube de Dream da Cidade de São Paulo. Ficamos com quase 20 anos com essa moto e resolvemos em 2012 comprar a Intruder zero quilômetro na cor preta. De lá pra cá, eu como garupeira comecei a me interessar em pilotá-la visto que eu estava parada há aproximadamente 16 anos sem pilotar uma moto e até então utilizava apenas o carro para os meus afazeres diários.

A Intruder é uma excelente moto principalmente para quem quer iniciar no mundo da pilotagem ou então porque gosta do estilo custom. Para os mais audaciosos é possível fazer várias modificações e deixar essa máquina do jeito que você quiser. No meu caso, acrescentei uma bolha, um protetor de motor, alforge na parte dianteira, um corta pipa e um baú. 


Nenhum comentário: